24
junho

O que querem os ativistas? Melhoria dos serviços públicos e fim da corrupção são principais reivindicações

Em Tangará, os jovens que encabeçaram o movimento também pedem coisas diversificadas. Junto com eles, profissionais liberais, donas de casa, líderes comunitários, ativistas sociais, produtores rurais

Por Luciana Menoli e Carla Londero/Da Redação

“Eu reivindico o aumento do percentual do PIB para a educação. Sou aluno e defendendo tudo, porque está tudo errado. Quero que acabe a corrupção. Eu quero que a educação e a saúde melhorem. Eu quero que eles acabem com a PEC 37. Eu quero que o país melhore, como um todo”. Sérgio Andrade

“Eu reivindico o aumento do percentual do PIB para a educação. Sou aluno e defendendo tudo, porque está tudo errado. Quero que acabe a corrupção. Eu quero que a educação e a saúde melhorem. Eu quero que eles acabem com a PEC 37. Eu quero que o país melhore, como um todo”. Sérgio Andrade

Na quinta-feira (20), data do protesto em Tangará da serra, cerca de 140 cidades Brasil afora também foram às ruas, com mais de 1 milhão de vozes pedindo por um Brasil melhor. A motivação inicial dos protestos que se estenderam pelo país foi o aumento nas passagens de ônibus em várias capitais. Rio e São Paulo, com os maiores protestos, já recuaram na tarifa, bem como a capital mato-grossense.

Depois disso, o protesto tomou outro cunho, passou a ser filosófico, onde uma massa constituída por descontentes de todas as idades atravessa as cidades em busca da melhoria por dias e serviços públicos melhores.

 

“Hoje eu reivindico melhorias para o nosso país. Reivindico melhorias para o nosso estado e para o nosso município. E todo mundo junto, nesta luta, com muita paz. É só paz que a gente pede. Eu defendo povo”. Aline Gramarin

“Hoje eu reivindico melhorias para o nosso país. Reivindico melhorias para o nosso estado e para o nosso município. E todo mundo junto, nesta luta, com muita paz. É só paz que a gente pede. Eu defendo povo”. Aline Gramarin

Em Tangará, os jovens que encabeçaram o movimento também pedem coisas diversificadas. Junto com eles, profissionais liberais, donas de casa, líderes comunitários, ativistas sociais, produtores rurais; cada um com um desejo em particular, com um assunto para o qual querem chamar a atenção, mas com algo em comum: querem um futuro em que a política não seja feita para os políticos, mas sim para o cidadão.

A corrupção está no cerne das justificativas para a revolta, já que retira a dignidade e cidadania do brasileiro e recursos de áreas essenciais, como saúde, educação, infraestrutura, segurança e transporte público.

 

“A minha reivindicação é a respeito da corrupção e dos gastos exorbitantes com a Copa do Mundo”. Marcelo Bitencourt

“A minha reivindicação é a respeito da corrupção e dos gastos exorbitantes com a Copa do Mundo”. Marcelo Bitencourt

O movimento continua pelas ruas e nas redes sociais. É quase que febril. Líderes de vários segmentos apoiam e se juntam à massa, que antes era de jovens estudantes, agora é de todos os brasileiros. O Jornal preparou um especial com as reivindicações e opiniões de alguns manifestantes tangaraenses, bem como as situações pelas quais lutam neste momento. Confira!

Comentários